Posts com Tag ‘Grécia’

Ilha de Milos – Grécia

Publicado: julho 30, 2011 por Nathaly Nunes em Viajando pela Europa
Tags:,

Seguindo o relato da nossa viagem a Grécia agora vou contar como foi nossa experiência na querida Ilha de Milos. Não sei exatamente como descrever os dias que passamos naquele lugar, a hospitalidade é intensa, povo acolhedor e querido, alias, como foi em toda nossa viagem.

Milos é uma ilha vulcânica da Grécia, situada no mar Egeu, no arquipélado das Cíclades. O nome não é coincidência com a famosa Vênus de Milos que se encontra no Louvre, a estátua da deusa foi encontrada em 1820 na ilha por um camponês chamado Yorgos Kentrotas este qual que a vendeu para a França por intermédio de um oficial francês que foi até a ilha. Muitas são as histórias em relação a este tramite e inclusive alguns nativos chegavam a afirmar que a França roubou a estátua grega.

A ilha é realmente bem pequena e pudemos desbrava-lá com a ajuda de um buggy e a sola das havaianas, para se ter uma ideia a população gira em torno de 5 mil pessoas apenas. A escolha dessa ilha para nosso roteiro foi de última hora devido a querermos conhecer um local não tão óbvio como destino turístico, ao que pudemos constatar a ilha é realmente destino de gregos, italianos e franceses em sua maioria e só. A cada vez que falávamos que somos brasileiros recebíamos sorrisos e frases de surpresa, eles não costumam ver brasileiros com frequência por lá e inclusive muitos perguntavam como havíamos descoberto sobre a ilha.

Retomando… Após 8 horas de viagem na balsa vindo de Creta chegamos durante a tarde no porto de Adamas, cidade portuária de Milos. Havíamos planejado ficar no Milos Camping mas não fazíamos ideia de como iríamos chegar lá, qual foi nossa surpresa quando desembarcamos e logo vimos um micro-ônibus estacionado escrito ^camping^, quando perguntamos o preço mais uma surpresa, gratuito, ôh beleza em menos de 15 minutos após chegarmos na ilha já estávamos dando entrada no camping.

As opções do camping são muitas, apartamentos, tendas, bangalôs, aluguel de barracas ou espaço. A estrutura completa, piscina, restaurante, bar, mini-mercado, aluguel de veículos e cozinha comunitária. Pagamos € 22 por dia, com o aluguel da barraca e diária para duas pessoas, ótimo. Nós havíamos levado sacos de dormir mas pegamos uma barraca que tinha colchão dentro então só usamos nossos sacos para forrar o colchão e pronto.

Como sempre recomendo o site Booking.com não custa falar que os preços de hospedagem na ilha, pelo menos para a alta temporada eram um pouco mais altos, iríamos pagar € 190 por três noites no hotel contra os € 66 que gastamos no camping então o lucro usamos para outras regalias. 😉

Nossa primeira experiência em um camping na europa foi no geral ótima, o Milos Camping é muito organizado e os preços são justos. Acho que vale entretanto citar dois ocorridos que prefiro lembrar como piada do que triste história. Cauuuso 1: Colocamos nossa Sprite na geladeira comunitária para acordarmos e estar geladinha, isso já era passado de meia-noite e iríamos acordar cedo…. inocência…. o Paulo acordou foi lá na cozinha pegou e me deu na boca, cuspi longe e fiquei braba sem entender direito, era água saloba…hahaha ainda bem que não era xixi. Tomaram e encheram novamente.
Cauuuuso 2:
Os sanitários. Para quem não conhece lhes apresento o sanitário turco!

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Dispensa comentários. Desumano! Brincadeirinha… (o real era bem semelhante, mas não quis tirar foto pois estava ainda muito revoltada no dia)

Primeiro dia reconhecimento do camping, curtimos um pouquinho, galera jovem, muitos franceses (MUIIIITOOOOS) e agito. O restaurante do camping ótimo, serve desde café da manhã até jantar. Resolvemos pegar o bus que passa em frente ao camping e ir para Adamas (5min) e assim nós fomos… que paz, estávamos muito felizes, um pouco tensos pelos horários de ônibus para os próximos dias pois até então não sabíamos se iríamos alugar um veículo ou não. O porto de Adamas é muito bacana, apesar de estarmos na alta temporada era um movimento gostoso, pessoas jantando em frente a água e comércios abertos até bem tarde. Voltamos para dormir e acordar cedo para o próximo dia.

Dia 2: Tsigrado, esse é o nome de uma das praias que nos levou até Milos, a apenas 4km do camping achamos que a caminhada seria tranquila já que acordamos super cedo e as 8h já estávamos prontos para sair e assim fomos a pé por uma estrada parte asfaltada parte de chão em direção a um paraíso escondido entre pedras. Claro que não foi bem assim mas uns 30 minutos depois chegamos e mal podíamos acreditar no que estávamos vendo. A princípio a vista nos tomou total atenção, ali deserta estava Tsigrado, nem sabíamos como descer mas sabíamos que era só nossa….pelo menos por enquanto.

Descemos um pouco uma duna de areia e encontramos a “tal” escada, aliás duas escadas e algumas partes de corda mesmo, a decida não era fácil mas a recompensa era inspiradora. Aproveitamos para tirar fotos e curtir a praia só para nós dois… por algumas horas assim foi até que chegou um casal e quando resolvemos ir embora foram chegando mais algumas pessoas, algumas nem mesmo se aventuravam a descer e só tiravam fotos de cima.

Firiplaka, a 1km dali outra praia maravilhosa e na qual passamos o dia todo já que esta possuí um pouco mais de estrutura com um quiosque bacana e cadeira/guarda-sol para alugar. Difícil esquecer um dia como aqueles, sol forte, céu azul, água cristalina com um forte tom azul celeste, não se pode querer mais nada. Dormimos ali embaixo do guarda-sol, tomamos muito banho de mar, fomos para uma parte da praia mais afastada e vimos alguns naturistas, bastante top-less e até que enfim por volta de 6 horas fomos embora, sem dúvidas que aquele dia maravilhoso ficaria em nossas memórias.

Após chegarmos no camping nos arrumamos e fomos novamente para Adamas, comemos o famoso Girus, maravilhoso! Por € 2 quase uma refeição, caminhamos entre as ruas e voltamos de taxi decididos que no próximo dia alugaríamos algum veículo para explorar mais a ilha.

Nosso terceiro de quatro dias e três noites em Milos, acordamos cedo mas curtimos um pouco o camping, tomamos café e fomos para Adamas, meio dia em ponto pegamos um Buggy, €45 pelas próximas 24h …. bem caro mas não dá nada! De lá fomos nós para Sarakiniko a praia mais exótica – se é que é  justo usar superlativos em relação as praias de Milos.

Sarakiniko é realmente DEMAIS! Uma praia que mais parece a superfície da lua com um solsão de 40°C e um mar azul, a sensação de calor em meio as pedras vulcânicas brancas era muito forte, difícil aguentar sem entrar na água. Mesmo passando muito protetor de hora em hora era difícil não se queimar rapidamente. Ficamos umas 2h e seguimos adiante pois o calor estava tenso.

Próxima parada: Papafragas. Alguns locais comentaram conosco que esta praia está protegida por ser local de procriação de leões marinhos, não vimos nenhum por ali mas é de concordar que eles escolheram bem. Uma fenda no terreno esconde essa praia fenomenal. O acesso é feito por uma escada esculpida na rocha que fica atrás da linha de areia, contorna o encosto descendo, descemos atentos e achamos um local para deixarmos nossas coisas, alguns banhistas já estavam instalados, a rocha possui tipo umas grutas , as paredes são todas esculpidas com nomes e desenhos feitos manualmente, bacana mas passei a vez de deixar minha marca, uma foto nos contentou.

Resolvemos fazer um pouco de mergulho e uns 20 metros após a faixa de areia vimos uma fenda na lateral esquerda do paredão, umas pessoas saíram de lá e então o Paulo inventou de querer ir, detalhe não tivemos como fotografar pois infelizmente nossa câmera não é a prova d’agua. Essa entrada deve ter acima da água uns 60 cm de altura por 60 de largura na base, e uns três metros de comprimento, não dava para ver o que teria no final mas forçada fui né. Inacreditável, saímos dentro de uma pequena caverna, a nossa esquerda algumas pessoas fazendo mergulho em uma outra caverna, mas uma caverna imensa, escura e com a água reluzente clariando o teto, abaixo de nós sem dar pé é claro víamos todo nosso corpo em meio a escuridão, alguns metros provavelmente haviam pedras e a direita a saída para o mar aberto. Gostaria de não esquecer esse lugar mas sem nenhum registro é difícil manter clara a imagem.

Eu sou medrosa e logo já começei a querer voltar, uma pena, mas não tínhamos nenhum equipamento de mergulho adequado.

Após essa parada fomos conhecer a tal Apollonia, outra cidade da ilha, a região é muito bonita, andamos com o buggy entre as ruas estreitas e as pessoas olhavam bastante, nos divertimos muito com o brinquedo, barulhento e bem estável acrescentou um Q a mais na nossa estadia em Milos.

Voltamos para o camping ao entardecer, tomamos banho, nos arrumamos e como iríamos embora no outro dia resolvemos encerrar a noite conhecendo a capital da ilha, a cidade de Plaka, chamar as cidades de Milos de cidade é estranho, eu prefiro pensar como vilarejos. Uma surpresa agradável, a capital de Milos é de um charme sem fim, são ruazinhas iluminadas com lâmpadas amarelas penduradas em linha nos  fios levam a outras ruazinhas, lojinhas com muitas coisas bacanas, tudo para agradar o turista é claro. Compramos mais do que devíamos, comemos muito bem e barato e fomos embora, sabendo que voltaríamos, e voltaremos, um dia!

No outro dia nossa balsa saía só por volta das 18h então curtimos o dia todo voltando em algumas praias pela manhã e após entregar o buggy ficamos na praia da Adamas mesmo, tomando banho de mar, dormindo (sempre…rsrsrs) e contemplando.

A viagem de 8h até o porto de Heraklion em Creta foi fácil, nem vimos, dormimos o tempo todo. 8h de sono restaurador e necessário já que não iríamos pagar hotel para ficar das 3h da manhã até meio dia. Esse seria nosso último dia na Grécia, a noite pegaríamos o avião para Manchester e após para Dublin, ficamos no porto até amanhecer, organizando as coisas, passeando pelas redondezas pois tudo é muito tranquilo e finalmente guardamos nossas coisas num ármario que você coloca moedas para trancar e fomos para nosso destino final, Palácio de Knossos. Mas esse fica para um próximo post, pois esse já ficou longo o suficiente.

Para concluir devo dizer que foi pouco, pouco tempo, uns 10 dias, naquele estilo de férias praia mesmo e não só por conhecer e curtir um pouco. As ilhas gregas são maravilhosas, escolher quais visitar não é tarefa fácil mas não tenho dúvidas que Milos é uma das mais belas, espero poder conhecer outras em breve. Creta é linda também mas o clima mais nativo e as características geográficas peculiares de Milos nos apaixonaram.

Para quem teve paciência de ler até o fim, obrigada! Abaixo slideshow com mais fotos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

See you soon! Don’t forget me!

Nathaly Nunes

Anúncios

Ilha de Creta – Grécia

Publicado: julho 22, 2011 por Nathaly Nunes em Viajando pela Europa
Tags:, ,

Nossa primeira parada na Grécia foi a Ilha de Creta, a maior ilha de Grécia e é banhada pelo Mar Egeu ao norte e Mar Mediteraneo ao sul. A ilha possui cerca de 650 mil habitantes e sua capital é Heraklion onde desembarcamos no aeroporto internacional durante a madrugada. Desde o embarque em Manchester constatamos a quantidade absurda de jovens europeus, neste caso, ingleses, que viajam para lá com destino final a Malia, praia famosa pela badalação e estrutura turística, ficamos curiosos e resolvemos que se possível dariamos uma passadinha na volta…mas isso é história para outro post.

Voamos de Manchester para Heraklion de madrugada com a empresa Thomas Cook Airlines, 4 horas de viagem sem direito a refeição e pouco espaço entre bancos, low cost mesmo. Logo na chegada ainda de madrugada já pudemos constatar o calor constante e foi só o sol nascer para já termos 30C. Saimos do aeroporto para o centro de Heraklion de ônibus municipal, a passagem custou €1 por pessoa e para pegar é só atravessar o estacionamento do aeroporto que você já vê o ponto de venda dos tickets. Detalhe*ônibus só apartir das 6h da manhã.

No centro da capital alugamos um carro logo pela manhã, € 40 por dia, próximo ao porto e a estação rodoviária, você vai costiando a costa e logo encontra um ponto com muitos comércios e locadoras de carros e motos. Pegamos estrada em direção a Stavros onde ficariamos hospedados, atravessando a costa norte da ilha. No caminho paramos nas cidade de Rethymno e Chania que são duas fortes capitais regionais da ilha logo após Heraklion. Chania é encantadora, melhor local que estivemos para comprar lembranças e artesanatos locais, a região do antigo porto (Old Harbor) e o farol rendem boas fotos.

Todas as estradas em que andamos em Creta estavam em ótimas condições e em todas as informações e placas possuem versão em inglês o que facilita o deslocamento na ilha. Recomendo muito mesmo alugar um carro ou moto em uma viagem como essa, alem de lhe dar muito mais possibilidades de paradas e ir modificando o roteiro você conheçe bem mais a região e a cultura. Um detalhe bacana sobre dirigir na Grécia é que é costume você ir para o acostamento e dar a esquerda da pista para o carro que se aproxima atrás de você passar. No principio ficamos tensos, não entendiamos a pressa deles e como colocavam o carro próximo a traseira do nosso, mas me lembrei que havia lido isso em algum blog e notamos que eles fazem o menos, cortesia.

Em Stavros ficamos hospedados no hotel Cathrin Suites e pagamos € 40 a diária para casal em quarto com banheiro e sacada, tudo reservado pelo Booking.com, site este que recomendo muito para reserva de hoteis na Europa.

Para quem não sabe muitas vezes para um casal não vale a pena ficar em hostel devido que em alguns casos o preço de um quarto simples duplo sai mais barato que o valor de duas pessoas em um hostel. Em Paris pagamos 45 euros por pessoa em um quarto duplo bem localizado no centro, se tivéssemos ficado em hostel teriamos pago de 20 a 25 euros por pessoa.

No primeiro dia curtimos o hotel e a praia local de Stavros, um lugar paradisíaco com águas quentes e cristalinas… Stavros é um lugar tranquilo para relaxar, a praia possui formações rochosas intrigantes onde durante o dia depois que a maré baixa a água do mar fica depositada em poços naturais, a evaporação desta água durante o dia deixa o sal seco para trás onde antes havia água salgada. Algo muito interessante de se ver.

Ao fazer a reserva no hotel o anúncio dizia que Stavros é um local onde havia um antigo sitio arqueológico, e a geográfia do local realmente indica isso, porém não achamos mais informações sobre isso. Aliás, foi relativamente difícil achar informações sobre as ilhas da Grécia, um site que utilizamos apesar de inglês foi o Greeka.com em que baseamos quase todo nosso roteiro.

No segundo dia fomos conhecer a praia de Balos, a qual nos instigou a cruzar todo o litoral norte da ilha até Stavros. Foi em média 70 km até o último ponto que permitia o acesso a carros, os últimos 10 km de carro foram tensos…hehehe divertidos mas só porque o carro era alugado já que a recomendação é ir com 4×4 nessa estrada. Pagamos €1 para entrar no local, pois é um local protegido e preservado pela prefeitura de Kissamos, cidade mais próxima. O acesso final a praia é feito a pé e nada fácil, um trecho de terreno arido e depois a descida…mas que descida (ai você imagina a volta…¬¬) e a vista…mas que VISTA. Um pedaço do paraíso na terra que nenhuma foto é capaz de demonstrar a beleza de ver aquilo com os próprios olhos. Foi emocionante, todo o esforço recompensado pela água cristalina e azul com os bancos de areias brancas. Detalhe*a vista que se tem é a da foto abaixo.

Neste mesmo dia descemos até o sul da ilha de carro para conhecer a famosa praia de Elafonisi, muito bonita por sinal e que ficará para uma próxima ida conhece-lá bem. No outro dia nossa barca sairia do porto de Heraklion para a Ilha de Milos logo ás 8h da manhã então logo cedo seguimos viagem para a terceira parte da nossa viagem, a terra da belíssima Venuz de Milos.

Informações úteis e curiosidade:

Rodamos aproximadamente 550km na Ilha de Creta e gastamos €60 em gasolina. Rendeu bem.

As passagens ida+volta, Manchester-Heraklion-Manchester custaram € 205 por pessoa pela Thomas Cook Airline.

Alimentação é justa, com € 15 a € 20 dá para fazer um bom jantar pelo casal, tinhamos uma refeição forte no dia e o restante compravamos no supermercado, nosso gasto em alimentação girou em torno de €30 por dia.

Ferry de Heraklion para Adamas (porto de Milos) custou € 40 ida+volta por pessoa. Compramos na internet pelo site Greeka.com neste link AQUI.

Este slideshow necessita de JavaScript.

I hope you have enjoyed! See you soon!

Nathaly Nunes