Arquivo da categoria ‘Intercâmbio’

Não imaginei que iria demorar tanto tempo para escrever esse post. 7 meses. 🙂

Com passagem e passaporte na mão... voltando para casa!

Acho que para falar com propriedade as marcas que o intercâmbio deixou em mim era necessário um tempo… para processar e ver os sinais. Agora moramos em outra cidade, Gramado, no Rio Grande do Sul. Voltamos para o brasil já tendo em mente que assim que pudessemos iriamos organizar a vinda para cá e deu tudo certo. Depois de 5 meses nos mudamos. Agora morando aqui na serra que noto alguns fatores muito importantes sobre a experiência de viver fora do Brasil. Posso citar muitos aspectos mais gostaria de me focar no intercâmbio como experiência de vida e no inglês para o mercado de trabalho.

Nunca tive dúvidas sobre viver fora do brasil ou não, e sempre soube que isso era algo que eu TINHA de fazer. Antes que outros motivos me impossibilitassem de ir eu e o Paulo fomos, novos, sem compromissos e com toda vida pela frente. A imagem que eu tinha do brasil mudou, a imagem que eu tinha da vida, do mundo e de mim mesma mudou. Ficou mais fácil julgar menos, apartir do momento que percebi que moral e normal dependem do ponto de vista e de onde você esta geográficamente, assim como a comida, o idioma e a fisionomia. As pessoas tem o direito de serem diferentes, morando em lugares tão diferentes e tendo costumes diferentes.

O INGLÊS. Nosso como é importante não é mesmo? Todo mundo quer alguém que fale inglês, como  nos mudamos para um destino turístico posso dizer com propriedade que faz toda diferença, em diversos âmbitos é importante mas em um país sede em 2014 e 2016 o inglês vai ser um diferencial muito importante. Eu não estou trabalhando aqui ainda mas o Paulo está e sem dúvidas o inglês foi primordial para destacá-lo entre os outros 15 candidatos.

Pergunta mais frequente relacionada a experiência: “E o inglês?” – O inglês vai bem obrigada.

Em 7 meses morando em Dublin nosso inglês foi de “sei alguma coisa” para “posso falar com qualquer um tranquilamente”, e ainda está melhorando, vocabulário é o maior desafio atual para mim, é uma linguagem toda, milhares de palavras, não é a tabuada. Sei a estrutura da linguagem mas as vezes falta uma palavra entende e isso acontece a todo momento, claro que você da uma enrolada, vai por outro caminho e fala, mas a fluência é um caminho longo, eu acho que para ter voltado fluente da Irlanda seria necessário ter morado 1 ano e meio, pelo menos, trabalhando com nativos todo dia, falando por várias horas todo dia. E estudando, sempre. Mas isso é só o meu achóóóu. Ainda assim depende.

Segunda pergunta mais frequente: “Como era lá?” – Bom…. lá era DIFERENTE. Quer sentar para conversar?

As pessoas não tem tanto interesse assim em saber mais sobre a vida e a cultura de onde você esteve, elas querem ver suas fotos, querem saber onde você viajou mas são poucas pessoas que realmente se interessam sobre o que você tem para dividir com elas. Isso foi meio decepcionante para mim, pois a bagagem que isso me deu foi enorme, tem tanto para falar mas poucos para compartilhar. Acho que isso funciona de acordo com a curiosidade cultural de cada um, a maior parte nunca vai fazer isso na vida e nem vai sair do seu país, NUNCA. Então não interessa para elas. Sinto que nem isso eu devo julgar, cada um tem seu plano de vida, só porque no meu eu inclui desvendar o mundo não significa que isso é oque há, para todo mundo.

Planos futuros? Exterior de novo entre 2014 e 2016 provavelmente. Não tanto tempo, talves 3 meses, mas nós vamos!

Boa sorte para quem está planejando, organizando ou indo em busca de seu sonho. O intercâmbio é a melhor experiência que vocês podem encontrar!

Cheers!
Nathaly Nunes

Anúncios

Brasil ! Cá estou.

Publicado: outubro 18, 2011 por Nathaly Nunes em Diversos, Intercâmbio
Tags:

Bom, estou deitada na minha cama nesse momento, na casa nova.  Após um longo periodo de reclusão vim dar notícias. hehehe

Nossa viagem de volta foi muito cansativa, mas chegamos bem, dormimos uma noite em São Paulo por causa da conexão e tivemos que fazer isso com todas as malas…da para imaginar né, que trabalheira.    😀

De qualquer maneira, estou em um momento de me concentrar na vida que estamos reestruturando aqui, no negócio novo que estamos desenvolvendo e os planos para o futuro. Foi mais impactante para mim a volta para cá do que a ida para Dublin então não vou postar até me dar vontade mesmo. Não tenho tido tempo para pensar, refletir, vir postar então ficarei ausente até chegar o momento adequado. Só posso dizer que a experiência de intercâmbio foi a melhor escolha que fiz na minha vida, me sinto orgulhosa por ter dado esse passo e ter conquistado isso para mim. Faria mil vezes novamente.

Um abraço à todos! Boa sorte para aqueles que estão indo!

Nathaly Nunes

Não posso negar que sou extremamente teimosa, infelizmente eu bato o pé quando enfio algo na cabeça e não abro. Foi assim quando fiz minhar malas para vir morar na Irlanda. Agora que iremos voltar vejo quanta coisa não usei. E isso neste caso é um pecado, espaço de coisas que poderiam estar voltando. kkkk

Desde o início achei que não iriamos comprar muito aqui porque essa não era a intenção, já tinhamos coisas boas, não queria gastar muito dinheiro e blábláblá. Como se vir com as malas cheias fosse impedirnos de comprar mais roupas e stuffs. Claro que eu estava errada e agora estámos voltando com uma mala a mais.

Cheguei a uma conclusão sobre isso dia desses, por mais que você faça uma mala super adequada e pegue todas as dicas, as coisas que vão faltar são aqueles que são características do clima daqui, acho que vale mesmo trazer só uma mala como todos dizem, mas acho sinceramente impossível para mim, vim sabendo que voltaria com mais coisas e teria de pagar por isso, azar. Compramos muitas coisas para nossa casa no Brasil, decoração e cama,mesa&banho de qualidade que valeram muito a pena.

Trouxe muitas roupas de verão, só metade do que trouxe realmente será útil,  por causa das viagens e combinações malucas para usar nesse verão tímido na Irlanda. Quanto as outras até uso e/ou usarei (Roma 30°C uhulll) mas são desnecessárias. O que MAIS me fez falta foram blusas de mangas, bacanas para usar com um lenço, trouxe algumas mas de usar por baixo de roupas de inverno, não como peça principal. Senti falta de roupas meia estação, que quebrem o galho dos 13°C aos 20°C.

As roupas de inverno que trouxe aguentaram o tranco de março tranquilamente, inclusive alguns negativos durante a madrugada na rua. Mas não poderia dizer o mesmo sobre o alto do inverno aqui, somente porque não sei. Trouxe 4 casacos de lã grandões sabe, alem de uma jaqueta, acho que daria (rsrsrsrs).

Só digo uma coisa gente, não venham achando que encontraram roupas de graça ou quase isso como os exagerados costumam falar… não é bem assim. Você não vai encontrar um casaco pura lã aqui por €5! Não mesmo. O básico costuma ser barato, mas peças mais bacanas obviamente são mais caras. Vou dar uns exemplos de coisas que compramos aqui nesses últimos meses, outras não tenho foto.

A botinha feminina paguei €7 é bem quentinha e tem um monte para vender aqui… A bolsa €5. A calça de abrigo masculina €8.

Nunca vi casaco de lã por €5 como já vi alguns falando, talvez até tenha mas eu nunca vi. O.o

Minha consideração final é, traga o que você tiver, não tudo é claro.

Nós trouxemos 2 malas de mais ou menos 26kg cada e uma pequena com laptop, cada um. Vamos voltar com essas mesmas malas com 32kg cada e mais uma de nova de 32kg. kkkkkk

Um abração à todos!

Nathaly Nunes

#FicaDica!

Publicado: agosto 21, 2011 por Nathaly Nunes em Diversos, Fazendo as Malas, Intercâmbio, Viajando pela Europa
Tags:,

… e uma notícia… estamos voltando! Exatos 200 dias de intercâmbio, 28 semanas e 4 dias ou ainda 6 meses e meio … o que quer dizer que está chegando ao fim. Desculpas, devia ter compartilhado isso antes, mas é definitivo agora.

Thanks! See ya!

Nathaly Nunes

Lembro de passar horas e horas durante o periodo de planejamento do nosso intercâmbio pesquisando sobre custo de vida e média de gastos mensais para viver na Irlanda, agora quase 4 meses depois e centenas de notas fiscais guardadas (é guardei todas até o terceiro mês mas cansei!) posso dizer por experiência própria.

Logo que chegamos em Dublin e começamos a caçada por um lugar para morar chegamos a conclusão que entre morar em um bairro mais afastado e mais barato e gastar quando vê €70 euros de condução por mês cada, seria uma melhor opção ficar bem no centro e pagar um pouco mais de aluguel. Hoje acho que acertamos em cheio.

***
Nossos gastos mensais se resumem ao seguinte: (valores para nós dois/casal)

€ 200,00 – supermercado (Lidl e Aldi), limite de €50 semanais
€ 580,00 – aluguel
€    35,00 – luz, a cada dois meses pagamos €70
€    70,00 – Mc’ e similares, comidas na rua ,pub e extras
—————————————————————————————-
€ 885,00 – total mensal bruto
***

Não conto nesse valor viagens nem compras extras, alguns meses extrapolamos mas agente fica mais de mês sem entrar na Penneys por exemplo o que protege as econômias. Paris gastamos aproximadamente €700, Grécia com muitas comprinhas irresistiveis €1000 e passagens mais caras. Isso saiu direto do nosso dinheiro pessoal.

Comemos bem, pub é raro, compramos cerveja e tomamos em casa, somos bem caseiros mesmo. Quando vamos no pub com os amigos saimos de lá ao menos €20 mais pobres então rola um peso na consciencia depois.

Morando no centro nunca usamos locomoção a menos que pegamos o DART como quando fomos para Malahide, Howth, Dun Laoghaire e Bray ou para o aeroporto. A propósito as linhas de bus que passam no aeroporto são 16a ou 41.

O primeiro mês realmente é quando se mais gasta, você chega e precisa comprar um travesseiro, edredon e as vezes alguma coisa para a casa como no nosso caso, pratos e xícara. O edredon gira de €10 a €25 na Penneys, pouco diferença entre solveiro e casal. Travesseiro com €4 compra um pacote com dois, ruinzinho mas serve. Capa para o edredon achamos por €10 de casal com mais duas capas de travesseiro, compramos duas, nem precisava, uma teria dado para o quebrar galho. Um lençol de cima casal €8.

***
Nossas compras iniciais :
(dívididas entre primeiro e segundo mês)

€  18,00 – edredon de casal boa qualidade
€ 20,00 – dois conjuntos de capa edredon e travesseiros de casal
€    4,00 – dois travesseiros na promoção
€    8,00 – lençol de cima
€    5,00 – conjunto com três panos de prato
€ 10,00 – quatro pratos de jantar, acho que pagamos caro mas…
€   4,00 – duas xícaras de café
——————————————————————————–
€69 ,00 – total
***

Também fizemos o cartão do Dublin Bikes logo no segundo mês para os dois, o que valeu cada cent pois usamos bastante e o Paulo inclusive para ir trabalhar. € 10 por pessoa para um ano. Tivemos algumas lâmpadas de ouro queimadas aqui em casa que devem ter nos dado o gasto de € 10 ao todo entre as três vezes, uma ida ao dentista com direito a obturação no dente a € 70 e alguns imprevistos como envio de documentos por DHL para o Brasil.

Falei quase tudo que lembrei, claro que nunca é o preto e o branco, sempre há gastos inesperados e coisas que compramos mesmo sem dever e foi por isso que viemos com a ideia que nosso limite seria € 1000 por mês, para o casal, o  resto é lucro e viagem! rsrsrs

Valores por curiosidade:

€ 6,95 – Big Mac (putz deu uma dúvida agora, mas é bem aproximado)
€ 4,95 – Melt Meal no Burguer King, opção um pouco mais barata mas gostosa
€ 3,50 – Pedaço pizza + latinha refri na Talbot St.
€ 8,65 – Fish and Chips no Beshoff da O’Connel St.
€ 7,00 – Jarra (pitcher) de cerveja no Murray’s da O’Connel St
€ 4,00 a 6,00 – Pint nos pubs do temple bar, depende
€ 2,00 – Pint na Diceys nas terças-feiras  😉

Um abração à todos, espero ter ajudado!

Nathaly Nunes

Hoje fazem exatos 3 meses que desembarcamos em Dublin pela primeira vez. Três meses de muitas novidades e opiniões formadas. Três meses que fizeram nos comerçar nossa vida finalmente. Obrigado à todos que acompanham o blog e nossa vida na terra verde.

Parabéns para nós e para a Irlanda! Estamos nos aguentando muito bem…hehehe

Considerações? Sim, claro!

Vale a pena fazer um intercâmbio? Cada centavo e cada momento. Existem coisas que só nos damos de conta quando vemos as coisas pelo lado de fora. Em relação a vida, a cotidiano, ao Brasil e ao mundo.

Irlanda é uma boa escolha? Nunca fui para nenhum outro país, mas se você consegue lidar com a saudade de casa e dias cinzentos sim. Uma opção financeiramente realista para muitas pessoas, ao contrário de Inglaterra, Nova Zelândia, Austrália ou Canadá que custam uma fortuna.

É possível trabalhar e tornar a experiência auto sustentável? É claro! A Irlanda com um dos mais altos salários mínimos do mundo um ótimo destino para quem pretende trabalhar, mesmo com um emprego part-time (20h semanais) você pode se manter e ter algumas regalias como viajar se você sabe organizar seu dinheiro.

Agência ou direto? Depende, pode não ser fácil fechar direto com algumas escolas. A minha escola(TEA) por exemplo acredito ser melhor vir por agência. Mas vai de cada caso. Se você não gosta de se preocupar em organizar tudo ou se preocupar com detalhes opte por uma agência sem dúvidas. Se você gosta de planejar e acha que isso é parte do processo junte-se a mim e tenha muitas noites mal dormidas! hehehe 😉

See you soon guys!

Nathaly Nunes

Eight Days!

Publicado: fevereiro 28, 2011 por Nathaly Nunes em Contagem Regressiva, Intercâmbio

8 dias…  7.. 6.. 5.. 4.. 3.. 2.. 1..0..!!!

Essa fileirinha de números ai em cima está menor a cada dia. Hoje faltam 8 dias para a chegada na Irlanda e uma semana para o embarque inicial. Eu não estava muito afim de postar nada hoje, estamos em Pelotas agora,  mas tem uma coisa que gostaria de deixar registrado aqui, sobre intercâmbio.

Eu sinceramente não estou indo embora para outro país por aventura, claro que vai ser, mas antes de tudo quero viver em outro lugar para provar para mim mesma o quanto eu gosto do Brasil e como viver em qualquer lugar do mundo é simplesmente viver! Viva la vida…

Não sou o tipo de pessoa que defende o Brasil até a morte, não tomo chimarrão só por ser gaúcha. Eu gosto do meu país pelo o que ele é, sabendo dos seus defeitos e tendo consciência que é uma questão de tempo para ir melhorando a qualidade de vida aqui assim como é na Europa. É obvio que as culturas na Irlanda e aqui devem ser bem diferentes, e eu anseio muito viver essa diferença, mas não quero desprezar nenhuma delas aqui no blog, alias, assim espero, me avisem se eu fizer isso por favor.

Para mim o Brasil vai ser sempre onde minha família está, onde posso encontrar um clima quase de primeiro mundo no meio da serra gaúcha, longe da violência excessiva do Rio de Janeiro e curtindo um litoral não tão glamoroso como o dos cariocas mas estonteante quanto de Santa Catarina. Amo tudo isso e detesto a falta de cultura, o atraso na saúde, educação e a pobreza.

Talvez eu também vá odiar o clima cinzento da Irlanda, achar a comida sem gosto depois de alguns meses e ver defeito nas pessoas … mas terão outras N coisas que eu vou amar e que farão cada dia valer a pena!

É uma coisa tipo… o dia que a brincadeira perder a graça eu paro de brincar e volto….Mas também, se valer a pena a terra verde vai ter de achar um cantinho para mim.

O que vocês acham?

See you tomorrow!

Nathaly Nunes

8dias…  7.. 6.. 5.. 4.. 3.. 2.. 1..0..!!! 

Essa fileirinha de números ai em cima está menor a cada dia. Hoje faltam 8 dias para a chegada na Irlanda, uma semana para o embarque inicial. Eu não estava muito afim de postar nada hoje, estamos em Pelotas agora,  mas tem uma coisa que gostaria de deixar registrado aqui, sobre intercâmbio.

Eu sinceramente não estou indo embora para outro país por aventura, claro que vai ser, mas antes de tudo quero viver em outro lugar para provar para mim mesma o quanto eu gosto do Brasil e viver em qualquer lugar do mundo é simplesmente viver! Viva la vida…

Não sou o tipo de pessoa que defende o Brasil até a morte, não tomo chimarrão só por ser gaúcha. Eu gosto do meu país pelo o que ele é, sabendo dos seus defeitos e tendo consciência que é uma questão de tempo para ir melhorando a qualidade de vida aqui assim como é na Europa. É obvio que ás culturas aqui e a Irlanda devem ser bem diferentes, e eu anseio muito viver essa diferença, mas não quero desprezar nenhuma das duas aqui no blog, alias, assim espero, me avisem se eu fizer isso por favor.

Para mim o Brasil vai ser sempre onde minha família está, onde posso encontrar um clima quase de primeiro mundo no meio da serra gaúcha longe da violência excessiva do Rio de Janeiro e curtindo um litoral não tão glamoroso do que os dos cariocas mas estonteante quanto de Santa Catarina. Amo tudo isso, detesto a falta de cultura, o atraso na saúde educação e a pobreza.

Talvez eu vá odiar o clima cinzento da Irlanda, achar a comida sem gosto depois de alguns meses e ver defeito nas pessoas … mas terão outras XXX coisas que eu vou amar e que farão cada dia valer a pena!

O que vocês acham?

See you tomorrow!

Nathaly Nunes