Parques : St Stephen’s Green

Publicado: março 31, 2011 por Nathaly Nunes em Dublin, Parques
Tags:, ,

Talvez o mais belo parque de Dublin, St Stephen’s Green é um dos muitos parque públicos da cidade. Fica situado próximo a uma das principais ruas comerciais da capital, a Grafton Street. O parque possui 9 hectáres distribuidos em um formato retangular de aproximadamente 550 x 450 metros.

Deixando as informações exatas de lado, o parque é estonteante. É meu preferido, por diversos motivos, uma grande quantidade de gaivotas estão sempre dando vida ao cenário mesmo nos dias gelados de Dublin, elas distraem e alegram qualquer um que passe por ali ou fique um tempo sentado lendo, apreciando a paisagem ou conversando. Entre as gaivotas também podemos ver patos, cisnes e pombas entre outras aves.

Nós pessoalmente já fomos três vezes e inclusive fizemos um piquenique e um almoçonique…rsrsrs Mal posso esperar para visita-lo no alge da primavera; quando as árvores estiverem bem verdes e floridas,  se já é bonito mesmo com a paisagem seca
contrastando com os jardins coloridos, imagina em Maio.
Assim que possível irei atualizar o post com mais fotos!

Breve resumo da história do parque:

Fonte: Wikipedia

Até 1663 a área onde hoje se situa o parque ficava fora da cidade e utilizava-se principalmente para pastagens. Nesse ano, o governo municipal decidiu fechar o parque e vender as terras que rodeavam o perímetro do mesmo.[1] O parque ficou rodeado com um muro em 1664 e rapidamente se começou a construir uma grande quantidade de edifícios de estilo georgiano à sua volta, o que fez que em finais do século XVIII, o lugar fosse residência da alta sociedade de Dublin. Hoje, a maioria dos edifícios que se podem ver perto de St Stephen´s Green são uma réplica dos que antes existiam, já que muito poucos dos originais sobreviveram.

Em 1814, o controlo do parque passou a estar sob uma comissão representativa dos residentes da zona que tomou a decisão de substituir o muro que rodeava o perímetro por uma rede e restringir o acesso ao interior do mesmo, de forma que apenas os residentes na zona podiam aceder ao interior do parque.[2] O acesso livre só foi retomado em 1877 por ordem do Parlamento, sob iniciativa de Arthur Guinness, fazendo com que fosse reaberto para poder ser desfrutado por todos os habitantes de Dublin. O próprio Guiness pagou em 1880 o redesenho do parque que desde então se mantém sem grandes alterações. Em agradecimento ao seu trabalho, no interior do parque há uma estátua em sua homenagem.

Durante a Revolta da Páscoa de 1916, um grupo de cerca de 250 revoltosos formado principalmente por membros do IRA sob ordens do comandante Michael Mallin tomou o controlo do parque,[1][3] bloqueando-lhe o acesso. O exército britânico respondeu atacando as posições rebeldes a partir do Shelbourne Hotel situado na esquina nordeste do parque, o que obrigou estes últimos a retirar-se para o Real Colégio de Cirurgiões, onde finalmente a revolta foi sufocada. As crónicas da época contam que durante o combate houve um momento en que se decretou um cessar-fogo para que o guarda do parque pudesse alimentar os patos.

Espero que tenham gostado! See you soon! Kisses

Nathaly Nunes

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s